Canais

Você tem várias formas de investir em ações. É importante avaliar cada uma das alternativas e escolher aquela que melhor atende seus objetivos. Entre as opções estão:

• Fundos de ações
• Corretora de valores
• Home broker
• Clube de investimento

Fundos de ações

Se você não se sente confortável em comprar suas ações sozinho, seja porque não conhece o mercado, seja porque não tem tempo de acompanhar as análises e a evolução dos preços dos papéis, você pode fazer suas aplicações por meio dos fundos de investimento em ações.

Os fundos de ações ou fundos de renda variável precisam ter pelo menos 67% de sua carteira aplicada em ações negociadas em Bolsas de Valores. Eles podem ser fundos ativos, passivos ou setoriais. Alguns deles buscam acompanhar ou superar um índice de referência, conhecido no mercado como benchmarks, como o Ibovespa, IBrX etc. Os fundos de ações se diferenciam conforme sua política de investimento e da composição de sua carteira. Consulte o prospecto do fundo antes de investir.

Corretoras

As corretoras são instituições financeiras membros das Bolsas de Valores que atuam como intermediárias entre os investidores e as Bolsas. Pelo seu trabalho, recebem uma comissão que pode ser fixa ou variável, chamada corretagem.

Toda corretora precisa estar credenciada pelo Banco Central, pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e pelas próprias Bolsas, e estão habilitadas a negociar valores mobiliários em pregões eletrônicos.
Os profissionais das corretoras, conhecidos como brokers ou corretores, podem lhe fornecer todas as informações necessárias para auxiliá-lo na tomada de decisão de seu investimento, inclusive com informações sobre as empresas das quais você tem interesse em comprar as ações.

Na prática, o investidor emite uma ordem de compra ou venda de determinada ação à sua corretora e é ela quem vai executar essa operação no pregão.

No site da BM&F Bovespa (
www.bmfbovespa.com.br) é possível ter acesso à lista de corretoras cadastradas.

Home Broker

O home broker permite a negociação de ações via Internet. Ele está interligado ao sistema de negociação da BM&FBovespa e permite que você envie ordens de compra e venda de ações por meio do site de sua corretora.
Para fazer essas operações é necessário que a corretora da qual você é cliente disponha do sistema home broker.
Você precisará abrir um cadastro na corretora e fazer uma transferência para a conta bancária indicada pela instituição, no valor total da operação que deseja realizar. A corretora então executa a sua ordem de compra de ações.

Você pode contar ainda com os simuladores do mercado de ações que, para aqueles que nunca tiveram uma experiência com a Bolsa, é uma ferramenta bastante útil. Isso porque eles possibilitam que o futuro investidor aprenda os mecanismos do mercado, com simulações de toda a operação, sem precisar desembolsar um centavo sequer.

A Internet tem contribuído para que pequenos e médios investidores, pessoas físicas ou jurídicas, possam comprar ações diretamente na Bolsa e não apenas por meio dos fundos de ações ou de clubes de investimentos. Com um clique você pode fazer de casa as operações que desejar na Bolsa de Valores.

IMPORTANTE: antes de tomar a decisão de investir em uma ação, é importante pesquisar sobre as empresas que possuem ações negociadas nas Bolsas de Valores. Algumas delas colocam à disposição informações financeiras relevantes por meio de sua área de Relações com Investidores. Outra fonte de informação são os relatórios e análises elaborados por especialistas que contêm indicações sobre algumas ações e, em alguns casos, projeções de resultados, lucro e preço-alvo para as empresas. Os jornais e portais de informações sobre o mercado acionário também são uma fonte diária de dados sobre as condições financeiras das empresas.

Clubes de investimento

Assim como um fundo de ações, um clube de investimento é uma forma de investimento coletivo em ações. Ele difere-se do fundo por não haver obrigatoriedade de patrimônio mínimo, ter menos obrigações formais, como publicação de balanços ou limites mínimos de aplicações, e ter um limite máximo de 50 participantes. O clube poderá ter um número superior de participantes quando reunir empregados, funcionários ou contratados de uma mesma empresa, entidade ou grupo de sociedade.

Ele pode ser gerido pelos próprios sócios (cotistas) ou pela corretora que o administra. Assim como os fundos, os clubes de investimento também são fiscalizados pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Para constituir um clube, um grupo de pessoas precisa de uma corretora de valores que será responsável por sua administração, emissão de extratos, pagamento de comissões etc.

Sua constituição é feita mediante aprovação e assinatura do Estatuto Social por parte dos participantes. Nestes documentos são fixados os princípios e as regras de funcionamento, de acordo com a legislação e com o Regulamento de Registro dos Clubes de Investimento da BM&FBovespa.

Fonte: www.comoinvestir.com.br

Últimas Notícias

Os 10 maiores bilionários brasileiros de 2019, segundo a Forbes

25/09/2019 17:40
A lista da Forbes conta com um número recorde de bilionários este ano: são 206 no país, 26 a mais que no ano anterior Por Karin Salomão access_time25 set 2019, 16h00 O empresário Jorge Paulo Lemann, sócio do 3G Capital, quase perdeu o posto do homem mais rico do Brasil, que ocupa há sete...

Natura confirma negociação para compra da Avon via troca de ações

22/05/2019 17:13
Empresa ponderou que não há como garantir que vai concluir de fato a transação Avon: Natura confirmou a informações de que está negociando a compra da rival norte-americana (Brendan McDermid/Reuters) São Paulo – A Natura confirmou nesta quarta-feira informações da imprensa de que...

Bolsa sobe com negociação EUA-China e reforma da Previdência

09/01/2019 11:41
Às 10:04, o Ibovespa subia 0,13 por cento, a 92.148,68 pontos Por Reuters Bovespa: bolsa sobe (Paulo Whitaker/Reuters) São Paulo – A bolsa paulista começava a quarta-feira com o Ibovespa em alta, alinhada ao tom positivo no exterior, em meio a expectativas de que Estados...

J&F discute repactuar leniência e pode confessar insider trading

22/01/2018 18:51
J&F discute repactuar leniência e pode confessar insider trading Leniência do grupo, fechada no final de maio do ano passado, prevê o pagamento de uma multa recorde no valor de 10,3 bilhões de reais durante 25 anos. J&F: acordo de leniência ficou em xeque após os irmãos...

Caixa mais que dobra lucro no 3º tri, para R$ 2,17 bi, diz BC

30/11/2017 16:31
Caixa mais que dobra lucro no 3º tri, para R$ 2,17 bi, diz BC As despesas da Caixa com pessoal somaram R$ 5,59 bi entre julho e setembro, número praticamente em linha com o mesmo período do ano passado Por Aluisio Alves, da Reuters Caixa: a soma das receitas com tarifas e...

Excesso de liquidez pressiona grandes bancos brasileiros

30/11/2017 15:57
Os maiores bancos do Brasil têm tantos ativos de alta liquidez que estão tentando se livrar deles. Por Cristiane Lucchesi e Felipe Marques, da Bloomberg Pessoas passam por agência do Banco do Brasil, no Rio de Janeiro (Pilar Olivares/Reuters) Os maiores Bancos do...

Dívida de irmãos Batista dispara com negócio familiar

05/07/2017 18:26
Dívida de irmãos Batista dispara com negócio familiar Os irmãos que estão no epicentro do mais recente escândalo de corrupção do Brasil compraram as participações de suas três irmãs na J&F Investimentos Por Gerson Freitas Jr., Cristiane Lucchesi e Felipe Marques, da...

Gávea Investimentos negocia venda de fatia na Azul, dizem fontes

08/12/2016 10:57
Segundo fontes, a Gávea quer vender sua participação na Azul e os atuais acionistas devem comprar a fatia Por Fabiola Moura e Jessica Brice, da Bloomberg     Azul: participação da Gávea na empresa foi avaliada em R$ 212,5 milhões (Getty Images) A gestora de ativos brasileira Gávea...

Gol tem queda de 6,7% na oferta doméstica.

12/08/2016 10:57
  São Paulo - A Gol registrou queda de 6,7% na oferta doméstica em julho em comparação com o mesmo mês de 2015. A companhia justificou em comunicado que o dado "seguiu a tendência de adequação". Houve retração também no acumulado do ano até julho, de 6,4% comparativamente a...

Kroton aumenta oferta pela Estácio e se aproxima de fusão

02/07/2016 16:18
Ricardo Moraes/Reuters Estácio: se concretizado, o negócio com a Kroton é avaliado em R$ 5,5 bilhões Cátia Luz, do Estadão Conteúdo Fernanda Guimarães, do Estadão Conteúdo Gabriela Melo e Márcio Rodrigues, do Estadão Conteúdo São Paulo - Líder do ensino superior privado do...
1 | 2 | 3 | 4 | 5 >>