Valor Nominal Atualizado

É o valor da debênture, calculado a cada período decorrido (dia, mês, ano), considerando a taxa de juro que o título foi negociado no mercado, no momento de seu lançamento (taxa de juro nominal).

Por exemplo: uma debênture foi negociada, no seu lançamento, pelo valor nominal de R$ 1.000,00, à taxa de juro nominal de 15% a.a. (taxa de juro que o investidor receberá se permanecer com o título até o seu vencimento), prazo de três anos.

Considerando que o cálculo de juros é por dias decorridos, e os juros acumulados são calculados pela taxa de juro composta, a taxa mensal equivalente desse título é de 1,171% ao mês. No fim do primeiro mês, o valor nominal atualizado será de R$ 1.011,71. No fim de seis meses, o valor nominal do título, com os juros acumulados no período, é de R$ 1.072,35. Este é o valor nominal atualizado no fim do primeiro e do sexto mês decorrido.

O valor, na data de vencimento (valor de resgate), com os juros capitalizados, será de R$ 1.520,90 (valor nominal de resgate). O valor de mercado poderá ser diferente em cada momento de negociação (mercado secundário). Essas variações resultam numa curva da taxa de juro, que é a representação gráfica do valor do título (no exemplo, valor nominal) em cada período decorrido. Se a taxa de juro do mercado subiu, o seu valor será inferior ao nominal. Se a taxa de juro caiu, o valor de negociação será maior que o nominal.

Em contrapartida, a curva da taxa de juro do mercado é variável, ora acima da curva da taxa nominal, ora abaixo, em virtude da variação do preço de negociação do título em face da oscilação da taxa de juro de mercado: ora subindo, ora baixando. A curva de taxa de juro é utilizada na maioria dos casos, com exceção de:

• Ativos indexados a índice de preços que tenham como característica a correção do valor nominal em periodicidade definida (mensal, trimestral, anual). Nesse caso, esse valor será alterado apenas quando incidirem sobre ele eventos, tais como amortização, incorporação de juros ou prêmio, correção do valor nominal etc.;
• Ativos que não possam ter seus valores calculados, em razão de suas características não se enquadrarem nas regras de cálculo do sistema, como índices de construção, por exemplo. Nesse caso, o valor visualizado será o da emissão, somente alterado quando incidirem sobre ele eventos, tais como amortização, incorporação de juros ou prêmio, correção do valor nominal etc.

Considerando a debênture simples, acompanhe um exemplo de valor nominal atualizado:

 

Valor unitário de emissão  R$ 1.000,00
Taxa 1,17% ao mês e 0,0388% ao dia

Vencimento

Três anos, dias corridos no prazo de vencimento

Pagamento de juros e do principalValor nominal atualizado na data de lançamento? 60 dias
após a emissão

1.000,00 (1+1,171%)² =
1.023,55
Preço de subscrição (12 dias após a data de lançamento) 1.023,55 (1+0,00388) =
1.028,32

Essa situação resulta nos seguintes valores:

 

Valor nominal unitário (D - data da emissão) R$ 1.000,00  
Valor nominal atualizado (em D + 60 dias) R$ 1.023,55
Preço atualizado de subscrição (data de lançamento - D+72 dias) R$ 1.028,32

Considerando a taxa de juro da debênture, 15% ao ano, em cada período a debênture terá um valor nominal atualizado, denominado curva de taxa de juro definida.

 

Taxa de juro
(em % ao mês)

1,171% ao mês, equivalente a 15% ao ano

Períodos 0 1 2 3 4 5 6
Data / 
meses decorridos
0 2 6 12 18 24 36
Valor atualizado
em cada período
1.000 1.023 1.072 1.150 1.233 1.322 1.520

Os valores da debênture na curva da taxa de juro de 15% ao ano variam de R$ 1.000,00 ao valor de R$ 1.520,00 na data de vencimento.

O gráfico a seguir define a curva desses valores (a curva da taxa de juro nominal do título):

Se a debênture for negociada no mercado secundário, por valor superior ao da curva, (por exemplo, no terceiro período, após 12 meses), por R$ 1.200,00, o vendedor obteve lucro maior do que o da taxa da debênture (15%), que, nessa data, teria, pela curva da taxa de juro, o valor de R$ 1.150,00, conforme a tabela acima.

Já o comprador, por ter pago R$ 1.200,00 por um título de valor nominal de R$1.150,00, pagou 50,00 de ágio na sua aquisição (valor maior que o nominal).

Se o preço de venda for por valor menor que o nominal, significa que a venda foi efetuada com deságio.

Fonte: www.comoinvestir.com.br

Últimas Notícias

Desafios da Petrobras ficam mais difíceis, diz Credit Suisse

11/09/2015 00:26
Dado Galdieri/Bloomberg Petrobras: de acordo com o banco, pesam sobre a companhia sua necessidade de financiamento de US$ 25 bilhões por ano Antonio Pita, do Estadão Conteúdo Rio - O cenário que já era delicado e preocupante para a Petrobras ficou ainda mais difícil após o...

Gerdau reajusta preços de aços longos, dizem fontes

08/09/2015 22:34
Paulo Fridman/Bloomberg News Gerdau: notificação do reajuste ocorreu entre o fim de agosto e o início deste mês Da REUTERS São Paulo - A Gerdau comunicou aos distribuidores de produtos siderúrgicos um aumento de cerca de 15 por cento nos preços de toda a sua linha de aços longos,...

Walmart vai parar de vender fuzis e outras armas nos EUA

26/08/2015 20:41
Joshua Lott/Files/Reuters Fuzil AR-15 em exposição Jonas Carvalho, de EXAME.com São Paulo – O Walmart informou hoje que vai parar de vender armas semiautomáticas em suas lojas nos Estados Unidos. O maior vendedor de armas e munições americano diz que a decisão é somente comercial e...

CCX obtém novo prazo para desenvolver concessão na Colômbia

28/07/2015 20:41
Divulgação CCX explora carvão na Colômbia: empresa declarou que o prazo para apresentação do plano foi prorrogado para setembro de 2017 Da REUTERS Rio de Janeiro - A mineradora CCX Colômbia informou nesta terça-feira que obteve permissão da Agencia Nacional de Mineria da Colômbia...

Santander reformula pacotes de conta corrente

21/07/2015 21:03
Getty Images Com a mudança, o cliente do Santander poderá escolher entre dois tipos de pacotes de serviços de conta corrente Aline Bronzati, do Estadão Conteúdo São Paulo - O Santander reformulou seus pacotes de conta corrente, lançados há dois anos, e vai permitir que a tarifa...

Com crescimento lento, empresas buscam fusões e aquisições

22/06/2015 21:24
Giuseppe Cacace/Getty Images Parmalat: compra da área de laticínios da BRF por R$ 1,8 bilhão foi uma das transações feitas no Brasil este ano Luísa Melo, de EXAME.com São Paulo - Em tempos de crise e queda no consumo, como agora, crescer organicamente é uma tarefa...

Marfrig dispara após venda bilionária para dona da Friboi

22/06/2015 15:20
                  O negócio segue a estratégia da JBS de crescer em alimentos processados São Paulo - As ações ordinárias da Marfrig lideravam a alta do Ibovespa nesta...

Crise não preocupa no longo prazo, diz presidente da Ambev

02/06/2015 20:44
Germano Lüders / EXAME Fábrica da Ambev: previsão é gastar R$ 3 bilhões neste ano, no mesmo patamar de 2014. Fernanda Nunes, do Estadão Conteúdo Rio de Janeiro - A crise econômica no Brasil não deve afetar os negócios da cervejaria Ambev neste ano, afirmou nesta...

Citi descarta comprar HSBC e vender Elavon no Brasil

27/05/2015 23:38
Mario Tama/Getty Images Prédio Citigroup Center: o banco está poupando dinheiro, pois prevê que os índices de inadimplência do setor bancário no país devem crescer nos próximos trimestres Da REUTERS São Paulo - O Citi já tomou as decisões importantes em termos de alienação de...

Com aumento de impostos, bancos têm semana trágica na Bolsa

25/05/2015 11:45
  RecomendeCompartilhar no TwitterCompartilhar no Google+Compartilhar no LinkedIn 1.148 views0 Salvar notícia Getty Images São Paulo - A expectativa de que o governo aumentaria os impostos das instituições financeiras impactaram as ações...
<< 2 | 3 | 4 | 5 | 6 >>