Riscos

Os títulos disponíveis para negociação no Tesouro Direto - LTN, LFT, NTN -, classificam-se como investimentos de renda fixa de baixo risco de crédito.

Se o investidor mantiver os títulos adquiridos até a data de vencimento, receberá exatamente a rentabilidade acordada no momento da compra. Caso resolva vendê-lo antecipadamente, receberá o preço de mercado do título na data da venda. Esse preço varia em função da expectativa das taxas de juros e da inflação pelos agentes financeiros, além de um eventual prêmio de risco embutido, o que pode ocasionar uma  rentabilidade maior ou menor do que a esperada inicialmente.  Tanto o resgate como a recompra é realizada pelo Tesouro Nacional e o risco de crédito existe apenas caso o Governo não honre seus compromissos

Além disso, os riscos relevantes que devem ser considerados nos investimentos em títulos públicos são:

LIQUIDEZ (dificuldades em transformar o investimento em caixa) é o risco comum a todos os tipos de títulos públicos.

No caso do Tesouro Direto, há liquidez semanal, as quartas-feiras, quando o Tesouro recompra seus títulos a preço de mercado. Também há a possibilidade de venda no mercado secundário, com restrições para volumes baixos, através do agente custodiante ou banco.

RISCO DE MERCADO, ou de TAXA DE JUROS (oscilações de mercado que podem frustrar a expectativa de rentabilidade original).

Um aspecto importante a ser levado em conta na análise de investimentos em renda fixa é a disponibilidade do investidor em não resgatar (vender) o título antes do seu vencimento. Neste caso, sua rentabilidade não será afetada pelas oscilações de mercado, a não ser pela parcela indexada, se houver (caso dos títulos em índices de preços e pós-fixados).

Por outro lado, se existir a hipótese de que o título necessite ser vendido antes do vencimento, seja em função de necessidade de recursos pelo investidor ou de oportunidade de realização de lucros acima do esperado, a avaliação do valor desse ativo deve ser feita a preços correntes de mercado – procedimento conhecido por marcação a mercado.

Exemplo 1

O investidor compra um título prefixado (LTN) de vencimento em um ano (252 dias úteis) por R$ 899,00 e irá receber R$ 1.000,00 por cada unidade de título comprado, representando uma rentabilidade no período de 11,23%, o que equivale uma rentabilidade diária de 0,0423%.

No período compreendido entre a compra do título e o seu vencimento, caso o investidor necessite vender este título, sua rentabilidade pode oscilar acima ou abaixo da rentabilidade diária esperada, representando ganhos maiores ou menores, dependendo do momento da venda.

Em períodos de extrema incerteza, pode inclusive, representar perdas ao investidor. Se as taxas de juros subirem, a LTN comprada pelo investidor, com taxas de juros menores, pode perde valor. Neste caso, se o investidor precisar vender o título antes do vencimento, receberá um valor menor do que o esperado para a referida data. Da mesma forma, se as taxas de juros caírem e o investidor vender o título antes do seu vencimento, poderá obter um ganho maior do que o esperado para a referida data. No vencimento, no entanto, a LTN sempre valerá R$ 1.000,00, proporcionando uma rentabilidade prefixada, conforme pactuada no momento da compra do título.

O mesmo raciocínio vale para os títulos atrelados aos índices de preços (NTN-B e NTN-C). No período entre a compra e o vencimento dos títulos, seus preços podem variar de acordo com as expectativas dos agentes financeiros quanto à taxa real de juros. Além disso, ainda há o componente pós-fixado (a inflação) que corrige os preços nominais dos títulos, o qual pode  manter-se acima ou abaixo das expectativas iniciais dos investidores.

No caso das LFT (títulos atrelados a Taxa Selic), vale lembrar  que os títulos podem ser vendidos com ágio ou deságio, afetando o rendimento dos investidores. Nesta hipótese, ainda existe uma parcela que depende das flutuações de mercado, em função das expectativas dos agentes financeiros e do equilíbrio entre oferta e procura pelos títulos.

Exemplo 2

Um investidor comprou uma LTN com prazo de dois anos – 504 dias úteis (Cenário I – vide Quadro Comparativo). Como o preço no vencimento é de R$ 1.000,00 por título, receberá R$ 1.000,00 no vencimento. O preço da compra foi de R$ 776,26, o que representa uma taxa de 13,50% a.a. e um rendimento diário de 0,0503%.

No entanto, passados 75 dias ele resolveu vender esse ativo (Cenário II - vide Quadro Comparativo). Como no período, entre a compra e a decisão da venda as expectativas dos agentes de mercado passaram a considerar taxas de juros mais baixas no futuro, (menor incerteza com relação à trajetória da inflação, por exemplo, é um fator que pode desencadear uma revisão), esse ativo era negociado à taxa de 10,06%, e o preço de venda foi de R$ 849,44. No período em que deteve o ativo, a rentabilidade bruta diária dessa operação foi de 0,1202%, superior, portanto, à sua perspectiva inicial.

Outra possibilidade pode ser considerada, levando-se em conta uma piora do cenário econômico, com elevação dos riscos distribuídos ao longo da curva de juros. Assim, caso a necessidade de geração de caixa pelo investidor tivesse se dado 276 dias após a aquisição (Cenário III- vide Quadro Comparativo), os preços negociados com o título embutiriam uma taxa de juros maior (20,00%), ou seja, a venda se daria por um valor mais baixo do que o esperado, caso a taxa de juros permanecesse a mesma. Dessa forma, o preço de venda após 276 dias foi de R$ 847,93, com rentabilidade no período de 0,0320% ao dia.

Deve-se ressaltar que, a variação de preço de um título público varia em função do prazo de vencimento deste título. Quanto mais próximo do vencimento, menores serão as possibilidades de perda do principal. E, conforme comentado anteriormente, no caso de o título ser levado ao vencimento, sua rentabilidade será aquela pactuada na data da compra do título. Note que os títulos prefixados longos embutem riscos maiores, em função de eventuais alterações do cenário econômico. Nesse sentido, apesar de eventuais ganhos em relação ao principal, o investidor está sujeito a perdas em relação aos custos de oportunidade (comparando-se seu investimento as demais alternativas).

Exemplo Hipotético
Cenário I
Prazo até o Vencimento 2 anos (504 d.u.)
Prazo até o vencimento
Taxa de Compra (% a.a.)
Taxa de Venda(% a.a.)
Preço de Compra (R$)
Preço de Resgate (R$)
Rentabilidade Efetiva ao dia (%)
Rentabilidade Efetiva em 504 d.u. (%)
504 d.u.
13,50
--
776,26
1.000,00
0,0503
28,82
Cenário II
Operação de Venda após 75 d.u.
Prazo até o vencimento
Taxa de Compra (% a.a.)
Taxa de Venda(% a.a.)
Preço de Compra (R$)
Preço de Venda (R$)
Rentabilidade Efetiva ao dia (%)
Rentabilidade Efetiva em 75 d.u. (%)
429 d.u.
13,50
10,06
776,26
849,44
0,1202
9,43
Cenário III
Operação de Venda após 276 d.u.
Prazo até o vencimento
Taxa de Compra (% a.a.)
Taxa de Venda(% a.a.)
Preço de Compra (R$)
Preço de Venda (R$)
Rentabilidade Efetiva ao dia (%)
Rentabilidade Efetiva em 276 d.u. (%)
228 d.u.
13,50
20,00
776,26
847,93
0,0320
9,23

Fonte: www.comoinvestir.com.br

Últimas Notícias

Moody's rebaixa títulos de empresas ligadas à Petrobras

28/02/2015 15:00
Tânia Rêgo/Agência Brasil Petrobras: agência afirma que a ação reflete o aumento do risco de liquidez associado à deterioração do perfil de crédito da Petrobras Francine De Lorenzo, do Estadão Conteúdo São Paulo - A agência de classificação de risco Moody´s rebaixou os ratings das...

Defesa de Eike estuda medidas contra leilão de carros

19/02/2015 20:17
Douglas Engle/Bloomberg News Eike Batista: empresário é réu num processo em que é acusado de crimes contra o mercado de capitais Mariana Sallowicz, do Estadão Conteúdo Rio - A defesa de Eike Batista estuda as medidas que serão tomadas contra o leilão de cinco veículos do...

Títulos da Petrobras superestimam riscos, diz Credit Suisse

10/02/2015 21:17
Fernando Frazão/Agência Brasil Petrobras: petroleira enfrenta dificuldades diante dos baixos preços internacionais do petróleo e do risco de perder seu grau de investimento Guillermo Parra-Bernal, da REUTERS  SÃO PAULO - Os rendimentos dos títulos da Petrobras com vencimento...

Balanço do Twitter supera expectativas

05/02/2015 20:50
Emmanuel Dunand/AFP Twitter: número de usuários que se conectam ao menos uma vez ao mês aumentou para 288 milhões no fim de 2014 Do Estadão Conteúdo Nova York - O Twitter registrou prejuízo de US$ 125,4 milhões (US$ 0,20 por ação) no quarto trimestre de 2014, reduzindo...

Os computadores têm futuro? A Acer aposta tudo que sim

06/01/2015 21:40
Bloomberg Computador da Acer: para a Acer, sua principal oportunidade está no novo mercado de Chromebooks Tim Culpan, da Bloomberg Taipei - Quando Jason Chen assumiu o cargo de CEO da Acer Inc. há um ano, ele recebeu uma lista de três páginas dos problemas,...

CSN faz acordo com sócios da Namisa para fusão em mineração

24/11/2014 19:25
Divulgação CSN: empresa disse que os acordos com seus sócios na Namisa foram assinados na última sexta-feira Da REUTERS São Paulo - A Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) informou nesta segunda-feira que fechou um acordo com os sócios da Namisa para fusão da produtora...

Investimento da Sabesp no 3º tri soma R$ 971,6 milhões

13/11/2014 23:01
Paulo Fridman/Bloomberg Solo ressecado é visto na represa de Jaguari, administrada pela Sabesp, próximo de Santa Isabel Stefânia Akel, do Estadão Conteúdo São Paulo - Os investimentos realizados pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) ao longo do...

Lucro da Estácio sobe 54,1% no 3º tri

06/11/2014 20:35
Divulgação Estácio: no terceiro trimestre, ela teve fluxo de caixa positivo de 74 milhões de reais Juliana Schincariol, da REUTERS Rio de Janeiro - A Estácio Participações teve lucro líquido de 133 milhões de reais no terceiro trimestre, alta anual de 54,1 por cento, e a companhia...

Santander Brasil não mudará governança com recompra de ações

04/11/2014 19:51
Getty Images Santander: na semana passada, 13,65% dos acionistas minoritários aceitaram a oferta pública de aquisição de ações apresentada pelo Santander por sua filial do Brasil Da EFE São Paulo - O banco Santander Brasil não mudará de governança nem modificará sua...

Receita da Natura cresce 5% em mercado competitivo

23/10/2014 01:13
Germano Lüders/EXAME Natura: R$328 milhões foram investidos para aumentar a eficiência da companhia Karin Salomão, de EXAME.com São Paulo - A receita líquida da Natura cresceu 5% no terceiro trimestre de 2014, refreada pela competitividade do mercado de cosméticos no Brasil. O...
<< 4 | 5 | 6 | 7 | 8 >>