Riscos

Os títulos disponíveis para negociação no Tesouro Direto - LTN, LFT, NTN -, classificam-se como investimentos de renda fixa de baixo risco de crédito.

Se o investidor mantiver os títulos adquiridos até a data de vencimento, receberá exatamente a rentabilidade acordada no momento da compra. Caso resolva vendê-lo antecipadamente, receberá o preço de mercado do título na data da venda. Esse preço varia em função da expectativa das taxas de juros e da inflação pelos agentes financeiros, além de um eventual prêmio de risco embutido, o que pode ocasionar uma  rentabilidade maior ou menor do que a esperada inicialmente.  Tanto o resgate como a recompra é realizada pelo Tesouro Nacional e o risco de crédito existe apenas caso o Governo não honre seus compromissos

Além disso, os riscos relevantes que devem ser considerados nos investimentos em títulos públicos são:

LIQUIDEZ (dificuldades em transformar o investimento em caixa) é o risco comum a todos os tipos de títulos públicos.

No caso do Tesouro Direto, há liquidez semanal, as quartas-feiras, quando o Tesouro recompra seus títulos a preço de mercado. Também há a possibilidade de venda no mercado secundário, com restrições para volumes baixos, através do agente custodiante ou banco.

RISCO DE MERCADO, ou de TAXA DE JUROS (oscilações de mercado que podem frustrar a expectativa de rentabilidade original).

Um aspecto importante a ser levado em conta na análise de investimentos em renda fixa é a disponibilidade do investidor em não resgatar (vender) o título antes do seu vencimento. Neste caso, sua rentabilidade não será afetada pelas oscilações de mercado, a não ser pela parcela indexada, se houver (caso dos títulos em índices de preços e pós-fixados).

Por outro lado, se existir a hipótese de que o título necessite ser vendido antes do vencimento, seja em função de necessidade de recursos pelo investidor ou de oportunidade de realização de lucros acima do esperado, a avaliação do valor desse ativo deve ser feita a preços correntes de mercado – procedimento conhecido por marcação a mercado.

Exemplo 1

O investidor compra um título prefixado (LTN) de vencimento em um ano (252 dias úteis) por R$ 899,00 e irá receber R$ 1.000,00 por cada unidade de título comprado, representando uma rentabilidade no período de 11,23%, o que equivale uma rentabilidade diária de 0,0423%.

No período compreendido entre a compra do título e o seu vencimento, caso o investidor necessite vender este título, sua rentabilidade pode oscilar acima ou abaixo da rentabilidade diária esperada, representando ganhos maiores ou menores, dependendo do momento da venda.

Em períodos de extrema incerteza, pode inclusive, representar perdas ao investidor. Se as taxas de juros subirem, a LTN comprada pelo investidor, com taxas de juros menores, pode perde valor. Neste caso, se o investidor precisar vender o título antes do vencimento, receberá um valor menor do que o esperado para a referida data. Da mesma forma, se as taxas de juros caírem e o investidor vender o título antes do seu vencimento, poderá obter um ganho maior do que o esperado para a referida data. No vencimento, no entanto, a LTN sempre valerá R$ 1.000,00, proporcionando uma rentabilidade prefixada, conforme pactuada no momento da compra do título.

O mesmo raciocínio vale para os títulos atrelados aos índices de preços (NTN-B e NTN-C). No período entre a compra e o vencimento dos títulos, seus preços podem variar de acordo com as expectativas dos agentes financeiros quanto à taxa real de juros. Além disso, ainda há o componente pós-fixado (a inflação) que corrige os preços nominais dos títulos, o qual pode  manter-se acima ou abaixo das expectativas iniciais dos investidores.

No caso das LFT (títulos atrelados a Taxa Selic), vale lembrar  que os títulos podem ser vendidos com ágio ou deságio, afetando o rendimento dos investidores. Nesta hipótese, ainda existe uma parcela que depende das flutuações de mercado, em função das expectativas dos agentes financeiros e do equilíbrio entre oferta e procura pelos títulos.

Exemplo 2

Um investidor comprou uma LTN com prazo de dois anos – 504 dias úteis (Cenário I – vide Quadro Comparativo). Como o preço no vencimento é de R$ 1.000,00 por título, receberá R$ 1.000,00 no vencimento. O preço da compra foi de R$ 776,26, o que representa uma taxa de 13,50% a.a. e um rendimento diário de 0,0503%.

No entanto, passados 75 dias ele resolveu vender esse ativo (Cenário II - vide Quadro Comparativo). Como no período, entre a compra e a decisão da venda as expectativas dos agentes de mercado passaram a considerar taxas de juros mais baixas no futuro, (menor incerteza com relação à trajetória da inflação, por exemplo, é um fator que pode desencadear uma revisão), esse ativo era negociado à taxa de 10,06%, e o preço de venda foi de R$ 849,44. No período em que deteve o ativo, a rentabilidade bruta diária dessa operação foi de 0,1202%, superior, portanto, à sua perspectiva inicial.

Outra possibilidade pode ser considerada, levando-se em conta uma piora do cenário econômico, com elevação dos riscos distribuídos ao longo da curva de juros. Assim, caso a necessidade de geração de caixa pelo investidor tivesse se dado 276 dias após a aquisição (Cenário III- vide Quadro Comparativo), os preços negociados com o título embutiriam uma taxa de juros maior (20,00%), ou seja, a venda se daria por um valor mais baixo do que o esperado, caso a taxa de juros permanecesse a mesma. Dessa forma, o preço de venda após 276 dias foi de R$ 847,93, com rentabilidade no período de 0,0320% ao dia.

Deve-se ressaltar que, a variação de preço de um título público varia em função do prazo de vencimento deste título. Quanto mais próximo do vencimento, menores serão as possibilidades de perda do principal. E, conforme comentado anteriormente, no caso de o título ser levado ao vencimento, sua rentabilidade será aquela pactuada na data da compra do título. Note que os títulos prefixados longos embutem riscos maiores, em função de eventuais alterações do cenário econômico. Nesse sentido, apesar de eventuais ganhos em relação ao principal, o investidor está sujeito a perdas em relação aos custos de oportunidade (comparando-se seu investimento as demais alternativas).

Exemplo Hipotético
Cenário I
Prazo até o Vencimento 2 anos (504 d.u.)
Prazo até o vencimento
Taxa de Compra (% a.a.)
Taxa de Venda(% a.a.)
Preço de Compra (R$)
Preço de Resgate (R$)
Rentabilidade Efetiva ao dia (%)
Rentabilidade Efetiva em 504 d.u. (%)
504 d.u.
13,50
--
776,26
1.000,00
0,0503
28,82
Cenário II
Operação de Venda após 75 d.u.
Prazo até o vencimento
Taxa de Compra (% a.a.)
Taxa de Venda(% a.a.)
Preço de Compra (R$)
Preço de Venda (R$)
Rentabilidade Efetiva ao dia (%)
Rentabilidade Efetiva em 75 d.u. (%)
429 d.u.
13,50
10,06
776,26
849,44
0,1202
9,43
Cenário III
Operação de Venda após 276 d.u.
Prazo até o vencimento
Taxa de Compra (% a.a.)
Taxa de Venda(% a.a.)
Preço de Compra (R$)
Preço de Venda (R$)
Rentabilidade Efetiva ao dia (%)
Rentabilidade Efetiva em 276 d.u. (%)
228 d.u.
13,50
20,00
776,26
847,93
0,0320
9,23

Fonte: www.comoinvestir.com.br

Últimas Notícias

Itaú obtém aval do BC para união de operações com CorpBanca

16/10/2014 21:10
Wikimedia Commons/Carlos yo Agência do banco chileno CorpBanca em Santiago de Chile Da REUTERS São Paulo - O Itaú Unibanco informou nesta quinta-feira que o Banco Central brasileiro aprovou a união das operações da sua unidade Banco Itaú Chile com o CorpBanca no Chile e nas demais...

MMX mantém suspensão de produção em Serra Azul

13/10/2014 19:36
Companhia manterá as atividades temporariamente suspensas para "otimizar recursos e adequar custos frente ao cenário de reposicionamento estratégico" Rich Press/Bloomberg Caminhão na mina de ferro Serra Azul da MMX, em Minas Gerais Rio de Janeiro - A MMX informou nesta...

Petrobras bate recorde diário de processamento

08/10/2014 21:36
Carga processada em 10 de setembro foi de 109 mil m³, o que representa um volume de 4 mil m³ superior ao recorde diário anterior Eulina Oliveira, do EXAME/Arquivo Refinaria da Petrobras: companhia alcançou recorde diário de processamento de diesel e querosene de aviação São Paulo...

Slim fica mais rico com um desmembramento que rejeitava

30/09/2014 23:58
O homem mais rico do mundo conseguiu um de seus maiores benefícios financeiros ao finalmente se render à proposta do governo mexicano Ben Bain, da Susana Gonzalez/Bloomberg Carlos Slim: bilionário mexicano viu sua fortuna saltar para US$ 80,3 bilhões neste ano Cidade do México - Carlos Slim,...

Petrobras revela 2 descobertas de indícios de óleo no ES

25/09/2014 21:37
Descobertas da estatal aconteceram em um bloco terrestre e em um bloco offshore Antonio Pita, do Sergio Moraes/Reuters Petróleo sendo examinado na Petrobras: estatal descobriu novos indícios de petróleo no Espírito Santo Rio - A Petrobras comunicou à Agência Nacional do Petróleo,...

A nova empresa do co-fundador da Azul

24/09/2014 00:35
Gerald Lee saiu da Azul para criar a Modern Logistics, que irá integrar cadeia produtiva, armazenamento, transporte e distribuição, com foco em transporte aéreo Karin Salomão, de Getty Images Transporte aéreo: o foco serão produtos de alto valor, como eletrônicos, farmacêuticos e...

Prazo de construção de plataforma caiu, diz Petrobras

18/09/2014 19:33
Graça Foster ressaltou os ganhos de produtividade da indústria petroleira durante a feira e conferência Rio Oil & Gas Fernanda Nunes, do Dado Galdieri/Bloomberg Funcionários da Petrobras em uma plataforma de petróleo em construção na bacia de Angra dos Reis, no estado...

Consórcio terá que investir US$ 80 bi em Libra, diz Total

17/09/2014 00:50
Total é participante do consórcio que venceu o leilão de Libra, que inclui também a Petrobras, a Shell e as chinesas CNPC e Cnooc Marta Nogueira, da Total E&P UK via Bloomberg Plataforma de petróleo da Total: companhia tem 20% no consórcio de Libra Rio de Janeiro - A área de...

ANP multa Petrobras em R$ 35 mi por problemas na P-40

11/09/2014 21:27
Estatal foi multada por problemas e "não conformidades" na medição de sua produção da plataforma P-40 Antonio Pita, do Sérgio Moraes/Reuters Chaminé em plataforma de Petróleo da Petrobras Rio - A Petrobras recebeu nova multa da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e BiocombustíveIS...

Como a TAM economiza milhões consertando aviões em pleno voo

09/09/2014 21:14
Em menos de um ano, companhia gerou economia de US$ 1,2 milhão com monitoramento remoto realizados em todas aeronaves Daniela Barbosa, de Jefferson Bernardes/AFP Avião da TAM: companhia tem economizado com manutenção remota das aeronaves São Paulo – A equipe do Centro de...
<< 5 | 6 | 7 | 8 | 9 >>