Casino e Carrefour travam disputa intensa pelo controle do Pão de Açúcar

04/07/2011 13:26

Para o Casino, 'o Carrefour e seus administradores assumem risco ao aceitar uma operação iniciada de maneira hostil e realizada como com negociações ilegais'

 
Mehdi Cherifia, da

Jean-Philippe Ksiazek/AFP

Mulher faz comprar no Carrefour

O Carrefour se pronunciou em favor do projeto de fusão, mas a concretização de seus planos esbarra na autorização da CBD

Paris - Os dois grandes rivais do varejo francês, Carrefour e Casino, estão travando uma disputa acirrada pelo controle do número um do varejo no Brasil, mas a posição do primeiro foi enfraquecida pela mudança de posição dos poderes públicos brasileiros.


O conselho de administração do Carrefour se pronunciou nesta segunda-feira em favor do projeto de fusão recentemente anunciado com o CBD Pão de Açúcar, anunciou o grupo em um comunicado, mas a concretização de seus planos esbarra em um grande obstáculo: a aproximação precisa receber a autorização da CBD.

O inimigo declarado do Casino, grande acionista do CBD, não está disposto a perder um de seus investimentos mais promissores.

Ele já reagiu aos projetos do Carrefour, aumentando a sua participação no CBD em 6,2%. Ele detém agora 43,1% de seu capital, direta e indiretamente por meio de uma holding comum com a família Diniz, que aceitou sem ambiguidade a oferta do Carrefour.

O projeto no centro da disputa prevê a fusão dos ativos brasileiros do Carrefour com os do CBD, para fazer nascer uma sociedade comum detentora de uma posição central no mercado brasileiro.

A operação permitiria iniciar sinergias estimadas entre 600 e 800 milhões de euros por ano, segundo o Carrefour. A nova empresa teria um uma receita pro-forma de 30 bilhões de euros em 2011.