CCR tem queda de 28,6% no lucro do 3º trimestre

27/10/2015 21:29

Wikimedia Commons

CCR

CCR: companhia obteve melhora no resultado operacional no período

Da REUTERS

São Paulo - A companhia de concessões de infraestrutura CCR teve queda de 28,6 por cento no lucro líquido do terceiro trimestre na comparação anual, a 247 milhões de reais, em resultado em linha com a média das previsões de analistas e pressionado pelo aumento do custo de sua dívida.

A companhia obteve melhora no resultado operacional no período, mas o avanço de 67 por cento da despesa financeira, para 365,8 milhões de reais, levou a empresa a divulgar lucro menor. A média das previsões de analistas compiladas pela Reuters apontava lucro líquido de 244 milhões de reais.

"Na comparação com o terceiro trimestre do ano anterior tivemos um acréscimo na dívida e, no mesmo período, a CDI, nosso referencial de custo das dívidas, saiu de 10,8 por cento para 14 por cento na média dos dois trimestres. Combinando esses dois fatores, você tem uma dívida mais cara", disse o diretor financeiro da CCR, Arthur Piotto.

O resultado também refletiu custos com novos projetos, principalmente a MSVia e o Metrô Bahia, disse.

Do lado operacional, o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado pró-forma da CCR teve alta de 3,7 por cento, a 1,12 bilhão de reais, mesmo valor apontado pela média das projeções de analistas.

A receita líquida pró-forma, por sua vez, que inclui dados proporcionais das controladas em conjunto, teve avanço de 8,6 por cento, a 1,8 bilhão de reais. O resultado foi impulsionado pelo reajuste tarifário da maioria das concessionárias entre julho e agosto, apesar da queda de 6,7 por cento do tráfego total de rodovias sob sua administração, disse a CCR.

CLIQUE AQUI E TESTE SUA PLATAFORMA DE NEGOCIAÇÃO GRÁTIS.

Excluindo a CCR Ponte, que não está mais sob concessão da empresa, e a MSVia, o tráfego caiu 1,9 por cento, queda considerada discreta pela CCR. O tráfego consolidado havia recuado 4 por cento no segundo trimestre deste ano na comparaçào anual. "A tendência que se percebe é de recuperação, embora ainda seja muito difícil fazer qualquer afirmação de que vai continuar ou não", disse Piotto.

A alavancagem medida pela relação entre dívida líquida e Ebitda ajustado dos últimos 12 meses passou a 2,7 vezes, ante 2 vezes no terceiro trimestre do ano passado, com a dívida líquida consolidada atingindo 9,8 bilhões de reais em setembro.

Segundo Piotto, a CCR precisa de cerca de 4 bilhões de reais em refinanciamento nos próximos 12 meses. "É um cenário mais difícil, vamos pagar mais caro por isso, os bancos estão mais seletivos e o juro está mais alto... Em que pese o cenário, estamos confiantes de que é uma situação de momento", disse.

Sobre as questões judiciais envolvendo a empresa, Piotto disse que a CCR entrou com recurso contra decisão de primeira instância da Justiça paulista que invalidou aditivo contratual de 2006 que reequilibrava contrato da concessionária AutoBAn.

 

Últimas Notícias

BTG conclui compra de suíço BSI por US$1,29 bi, diz fonte

15/09/2015 19:44
Gustavo Kahil / Exame.com BTG Pactual: o grupo liderado por André Esteves anunciou nesta terça-feira ter pago 1,25 bilhão de francos suíços para selar a compra Aluísio Alves e Guillermo Parra-Bernal, da REUTERS São Paulo - O BTG Pactual concluiu a compra da gestora suíça de...

Desafios da Petrobras ficam mais difíceis, diz Credit Suisse

11/09/2015 00:26
Dado Galdieri/Bloomberg Petrobras: de acordo com o banco, pesam sobre a companhia sua necessidade de financiamento de US$ 25 bilhões por ano Antonio Pita, do Estadão Conteúdo Rio - O cenário que já era delicado e preocupante para a Petrobras ficou ainda mais difícil após o...

Gerdau reajusta preços de aços longos, dizem fontes

08/09/2015 22:34
Paulo Fridman/Bloomberg News Gerdau: notificação do reajuste ocorreu entre o fim de agosto e o início deste mês Da REUTERS São Paulo - A Gerdau comunicou aos distribuidores de produtos siderúrgicos um aumento de cerca de 15 por cento nos preços de toda a sua linha de aços longos,...

Walmart vai parar de vender fuzis e outras armas nos EUA

26/08/2015 20:41
Joshua Lott/Files/Reuters Fuzil AR-15 em exposição Jonas Carvalho, de EXAME.com São Paulo – O Walmart informou hoje que vai parar de vender armas semiautomáticas em suas lojas nos Estados Unidos. O maior vendedor de armas e munições americano diz que a decisão é somente comercial e...

CCX obtém novo prazo para desenvolver concessão na Colômbia

28/07/2015 20:41
Divulgação CCX explora carvão na Colômbia: empresa declarou que o prazo para apresentação do plano foi prorrogado para setembro de 2017 Da REUTERS Rio de Janeiro - A mineradora CCX Colômbia informou nesta terça-feira que obteve permissão da Agencia Nacional de Mineria da Colômbia...

Santander reformula pacotes de conta corrente

21/07/2015 21:03
Getty Images Com a mudança, o cliente do Santander poderá escolher entre dois tipos de pacotes de serviços de conta corrente Aline Bronzati, do Estadão Conteúdo São Paulo - O Santander reformulou seus pacotes de conta corrente, lançados há dois anos, e vai permitir que a tarifa...

Com crescimento lento, empresas buscam fusões e aquisições

22/06/2015 21:24
Giuseppe Cacace/Getty Images Parmalat: compra da área de laticínios da BRF por R$ 1,8 bilhão foi uma das transações feitas no Brasil este ano Luísa Melo, de EXAME.com São Paulo - Em tempos de crise e queda no consumo, como agora, crescer organicamente é uma tarefa...

Marfrig dispara após venda bilionária para dona da Friboi

22/06/2015 15:20
                  O negócio segue a estratégia da JBS de crescer em alimentos processados São Paulo - As ações ordinárias da Marfrig lideravam a alta do Ibovespa nesta...

Crise não preocupa no longo prazo, diz presidente da Ambev

02/06/2015 20:44
Germano Lüders / EXAME Fábrica da Ambev: previsão é gastar R$ 3 bilhões neste ano, no mesmo patamar de 2014. Fernanda Nunes, do Estadão Conteúdo Rio de Janeiro - A crise econômica no Brasil não deve afetar os negócios da cervejaria Ambev neste ano, afirmou nesta...

Citi descarta comprar HSBC e vender Elavon no Brasil

27/05/2015 23:38
Mario Tama/Getty Images Prédio Citigroup Center: o banco está poupando dinheiro, pois prevê que os índices de inadimplência do setor bancário no país devem crescer nos próximos trimestres Da REUTERS São Paulo - O Citi já tomou as decisões importantes em termos de alienação de...
<< 2 | 3 | 4 | 5 | 6 >>