Compra de refinaria foi normal, diz José Sergio Gabrielli

06/08/2013 11:34

Ex-presidente da Petrobrás afirmou que não existe razão para questionamentos sobre a compra, em 2006, de uma refinaria em Pasadena, no Texas

Carolina Gonçalves, da

inShare
O ex-presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli

O ex-presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli: a partir de 2008, divergências marcaram o início da ruptura da sociedade em que a Petrobras havia investido US$ 360 milhões para ter direito sobre metade da Pasadena Refining System Inc

Brasília – O ex-presidente da Petrobras José Sergio Gabrielli disse hoje (6) que não existe qualquer razão para questionamentos ou dúvidas sobre a compra, em 2006, de uma refinaria em Pasadena, no estado do Texas, nos Estados Unidos. Em audiência pública na Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle (CMA) no Senado, Gabrielli garantiu que a refinaria foi comprada com preços alinhados à situação do mercado na época.

“A aquisição da refinaria foi um negócio normal, com preços em linha com o mercado”, disse. Gabrielli lembrou que a crise financeira que afetou várias economias do mundo alterou o cenário de consumo e investimentos dos Estados Unidos, enquanto o Brasil mantinha um ritmo de aquecimento da economia. O ex presidente da estatal brasileira lembrou ainda que o contrato firmado com a empresa belga Astra Oil – sócia da Petrobras no negócio firmado em 2006 – previa o fim da sociedade a qualquer tempo.

A partir de 2008, divergências marcaram o início da ruptura da sociedade em que a Petrobras havia investido US$ 360 milhões para ter direito sobre metade da Pasadena Refining System Inc. A aquisição completa da refinaria ocorreu sob vários processos judiciais iniciados no Brasil e nos Estados Unidos.

De acordo com denúncias feitas pela revista Veja, pela compra da outra parte da refinaria, a Petrobras pagou um total de US$ 1,8 bilhão. A reportagem destaca que o valor seria equivalente a dez vezes a oferta recebida pela estatal pela refinaria em dezembro do ano passado.

De acordo com Gabrielli o negócio foi concluído em 2012, com preço total de US$ 486 milhões, o que, de acordo com as contas da estatal, equivaleria a pouco mais de US$ 4,5 mil por barril. “Desafio qualquer técnico a dizer que isso não está em linha com o mercado na época. E o ativo [refinaria] permanece na mão da Petrobras e é uma refinaria bem localizada. Com reversão do ciclo, temos a oportunidade de aumentar o retorno desse ativo. Não vejo nenhuma razão para o questionamento, a não ser a desinformação”, completou.

Há quase dois meses, a atual presidenta da Petrobras, Graça Foster, disse, na Câmara dos Deputados, que a aquisição da Refinaria de Pasadena seguiu orientações positivas do mercado em 2006, e que as perdas produzidas com o negócio foram provocadas, principalmente, pela crise financeira mundial. Ela admitiu que no atual cenário, a empresa não repetiria a operação.

Os parlamentares devem continuar ouvindo autoridades da estatal sobre o assunto. O requerimento para que Gabrielli prestasse esclarecimentos hoje foi apresentado pelo senador Ivo Cassol (PP-RO). Antes que o ex-presidente da Petrobras iniciasse as explicações, o senador Blairo Maggi (PR-MT) adiantou que se o depoimento não satisfizer a comissão, o colegiado vai solicitar novas informações sobre o caso a outras autoridades e técnicos.

 

Últimas Notícias

Petrobras cria precedente perigoso ao não pagar dividendo

19/05/2015 21:23
Paulo Whitaker/Reuters Logo da Petrobras em frente prédio da companhia: a Petrobras informou que não pagaria dividendos para preservar o caixa Paula Arend Laier, da REUTERS São Paulo - O não pagamento de dividendos pela Petrobras aos acionistas preferencialistas pode...

Lula abriu Cuba às empresas brasileiras, diz Odebrecht

05/05/2015 21:32
Adalberto Roque/AFP Vista do porto cubano de Mariel: a Odebrecht liderou a construção do porto, um investimento de US$ 1 bilhão na ilha Blake Schmidt e Michael Smith, da Bloomberg O CEO da Odebrecht SA, Marcelo Odebrecht, disse que o conglomerado brasileiro de sua...

Petrobras termina 2014 com 5.200 funcionários a menos

26/04/2015 18:51
REUTERS/Sergio Moraes A queda mais expressiva de funcionários terceirizados deve ser explicada pela decisão da Petrobras de reduzir o ritmo de investimentos em 2014 André Magnabosco, do Estadão Conteúdo São Paulo - A crise que atingiu a Petrobras no ano passado colocou fim a uma...

Mastercard quer atingir milhões com acordo com Banco Mundial

23/04/2015 19:41
REUTERS/Soe Zeya Tun MasterCard: esse é um passo da estratégia da empresa de universalizar o acesso financeiro até 2020 Karin Salomão, de EXAME.com São Paulo - A MasterCard firmou uma parceria com uma instituição do Banco Mundial para atingir milhões de pessoas que ainda não têm...

OGPar depende de acordo com donos de plataformas

14/04/2015 21:29
Divulgação Plataforma de petróleo da OGX: segundo o presidente da empresa, a OGPar a empresa precisa fechar com urgência a negociação com os donos dos direitos de aluguel das plataformas Mariana Sallowicz, do Estadão Conteúdo Rio - Após fechar novo acordo na semana passada com os...

Fundos estrangeiros reduzem aplicação em ativos brasileiros

04/04/2015 15:00
FreeImage Dólar: expectativa de elevação dos juros pelo Federal Reserve, o banco central dos Estados Unidos, vem provocando realocação de carteiras Altamiro Silva Junior, do Estadão Conteúdo Nova York - O Brasil foi o país emergente que mais perdeu espaço nas carteiras dos fundos...

Arranjo de pagamento da Mastercard com Itaú começa neste ano

30/03/2015 14:53
Andrew Harrer/Bloomberg MasterCard: a bandeira fará a gestão do produto que é uma "evolução" em linha com o mercado de cartões que além de "grande", é "sofisticado" Aline Bronzati, do Estadão Conteúdo São Paulo - O novo arranjo de pagamentos de MasterCard e Itaú Unibanco,...

Petrobras contrata três bancos para vender ativos.

19/03/2015 15:37
Petrobras contrata três bancos para vender ativos Paulo Whitaker/Reuters Logotipo da Petrobras visto em refinaria em Cubatão: estatal precisa vender ativos para passar por 2015 sem acessar o mercado externo Cristiane Lucchesi e Sabrina Valle,...

As pedras no caminho de Levy: o ajuste está indo pra frente?

17/03/2015 16:43
Simon Dawson/Bloomberg   Joaquim Levy em conferência em Davos em janeiro de 2015 Simon Dawson/Bloomberg   São Paulo – No último 27 de novembro, momentos após ser confirmado como ministro da Fazenda, Joaquim Levy sentou na frente das câmeras e anunciou que o...

Vale transfere fatia em empresa na Guiné para BSG

14/03/2015 16:22
Divulgação Vale: empresa ressaltou que isso não significa qualquer renúncia no direito da mineradora de cobrar da BSGR a perda dos investimentos na parceria Da REUTERS São Paulo - A Vale informou que transferiu nesta sexta-feira sua participação acionária na joint venture...
<< 3 | 4 | 5 | 6 | 7 >>