CPFL vê onda de venda de ativos com estrangeiros na disputa

03/12/2015 21:21

Divulgação

CPFL Energia

CPFL: a CPFL pode aproveitar para ampliar sua fatia no mercado brasileiro de distribuição, hoje em 13 por cento

Luciano Costa, da REUTERS

São Paulo - A CPFL Energia vê um cenário aquecido para vendas de ativos de geração e distribuição de energia no Brasil nos próximos anos, o que envolverá privatizações e negócios feitos por empresas em dificuldade ou em busca de caixa para novos investimentos.

O processo deverá atrair investidores estrangeiros e ser mais intenso ainda no segmento de distribuição, no qual pode haver uma redução de até 50 por cento no número de empresas que controlam concessionárias, disse o presidente da CPFL, Wilson Ferreira Jr, em evento com acionistas nesta quinta-feira.

Segundo ele, a CPFL pode aproveitar para ampliar sua fatia no mercado brasileiro de distribuição, hoje em 13 por cento.

"Em um cenário ideal de consolidação, a gente dobraria de tamanho", disse Ferreira, estimando que isso poderia acontecer "ao longo dos próximos cinco anos", conforme a situação de concessionárias se deteriore, forçando vendas.

"A crise está aí". Ferreira afirmou que, do lado da geração, empresas com problemas financeiros ou envolvidas na Operação Lava Jato, da Polícia Federal, devem inundar o mercado com ativos.

"Tem vários agentes privados que se envolveram em usinas ao longo do tempo e estão em situação difícil ou querendo diversificar seus negócios. Em geração não víamos até pouco tempo antes espaço para trabalhar (com fusões e aquisiçõs)... hoje vemos muito", disse.

Competição com estrangeiros

Esse cenário de venda de ativos deverá atrair forte interesse de empresas estrangeiras, segundo avaliação da CPFL, que vê essas companhias como favorecidas por acesso a capital mais barato no exterior.

"Mas nenhum desses estrangeiros é um operador distinto pela eficiência como nós somos. Temos vantagens a aportar que eles não têm... acredito que a gente tenha como competir de uma forma bastante eficiente", disse Ferreira.

Ele destacou que principalmente o segmento de distribuição oferece oportunidades de ganho de escala para empresas já com uma forte estrutura local.

O presidente da CPFL também afirmou que a empresa poderia viabilizar eventuais aquisições com emissão de dívida ou com emissão de ações. Nesse segundo caso, seria preciso mostrar aos acionistas que a transação vale a pena.

"A perspectiva de criação de valor tem que ser maior que a perda de valor que seria causada pela diluição (das ações)", explicou.

Últimas Notícias

Petrobras cria precedente perigoso ao não pagar dividendo

19/05/2015 21:23
Paulo Whitaker/Reuters Logo da Petrobras em frente prédio da companhia: a Petrobras informou que não pagaria dividendos para preservar o caixa Paula Arend Laier, da REUTERS São Paulo - O não pagamento de dividendos pela Petrobras aos acionistas preferencialistas pode...

Lula abriu Cuba às empresas brasileiras, diz Odebrecht

05/05/2015 21:32
Adalberto Roque/AFP Vista do porto cubano de Mariel: a Odebrecht liderou a construção do porto, um investimento de US$ 1 bilhão na ilha Blake Schmidt e Michael Smith, da Bloomberg O CEO da Odebrecht SA, Marcelo Odebrecht, disse que o conglomerado brasileiro de sua...

Petrobras termina 2014 com 5.200 funcionários a menos

26/04/2015 18:51
REUTERS/Sergio Moraes A queda mais expressiva de funcionários terceirizados deve ser explicada pela decisão da Petrobras de reduzir o ritmo de investimentos em 2014 André Magnabosco, do Estadão Conteúdo São Paulo - A crise que atingiu a Petrobras no ano passado colocou fim a uma...

Mastercard quer atingir milhões com acordo com Banco Mundial

23/04/2015 19:41
REUTERS/Soe Zeya Tun MasterCard: esse é um passo da estratégia da empresa de universalizar o acesso financeiro até 2020 Karin Salomão, de EXAME.com São Paulo - A MasterCard firmou uma parceria com uma instituição do Banco Mundial para atingir milhões de pessoas que ainda não têm...

OGPar depende de acordo com donos de plataformas

14/04/2015 21:29
Divulgação Plataforma de petróleo da OGX: segundo o presidente da empresa, a OGPar a empresa precisa fechar com urgência a negociação com os donos dos direitos de aluguel das plataformas Mariana Sallowicz, do Estadão Conteúdo Rio - Após fechar novo acordo na semana passada com os...

Fundos estrangeiros reduzem aplicação em ativos brasileiros

04/04/2015 15:00
FreeImage Dólar: expectativa de elevação dos juros pelo Federal Reserve, o banco central dos Estados Unidos, vem provocando realocação de carteiras Altamiro Silva Junior, do Estadão Conteúdo Nova York - O Brasil foi o país emergente que mais perdeu espaço nas carteiras dos fundos...

Arranjo de pagamento da Mastercard com Itaú começa neste ano

30/03/2015 14:53
Andrew Harrer/Bloomberg MasterCard: a bandeira fará a gestão do produto que é uma "evolução" em linha com o mercado de cartões que além de "grande", é "sofisticado" Aline Bronzati, do Estadão Conteúdo São Paulo - O novo arranjo de pagamentos de MasterCard e Itaú Unibanco,...

Petrobras contrata três bancos para vender ativos.

19/03/2015 15:37
Petrobras contrata três bancos para vender ativos Paulo Whitaker/Reuters Logotipo da Petrobras visto em refinaria em Cubatão: estatal precisa vender ativos para passar por 2015 sem acessar o mercado externo Cristiane Lucchesi e Sabrina Valle,...

As pedras no caminho de Levy: o ajuste está indo pra frente?

17/03/2015 16:43
Simon Dawson/Bloomberg   Joaquim Levy em conferência em Davos em janeiro de 2015 Simon Dawson/Bloomberg   São Paulo – No último 27 de novembro, momentos após ser confirmado como ministro da Fazenda, Joaquim Levy sentou na frente das câmeras e anunciou que o...

Vale transfere fatia em empresa na Guiné para BSG

14/03/2015 16:22
Divulgação Vale: empresa ressaltou que isso não significa qualquer renúncia no direito da mineradora de cobrar da BSGR a perda dos investimentos na parceria Da REUTERS São Paulo - A Vale informou que transferiu nesta sexta-feira sua participação acionária na joint venture...
<< 3 | 4 | 5 | 6 | 7 >>