Desafios da Petrobras ficam mais difíceis, diz Credit Suisse

11/09/2015 00:26

Dado Galdieri/Bloomberg

Petrobras

Petrobras: de acordo com o banco, pesam sobre a companhia sua necessidade de financiamento de US$ 25 bilhões por ano

Antonio Pita, do Estadão Conteúdo

Rio - O cenário que já era delicado e preocupante para a Petrobras ficou ainda mais difícil após o rebaixamento da sua nota de risco pela Standard & Poor's, avalia o banco Credit Suisse em relatório encaminhado nesta quinta-feira, 10, a investidores.

De acordo com o banco, pesam sobre a companhia sua necessidade de financiamento de US$ 25 bilhões por ano, associada às altas dívidas pressionadas pela recente depreciação do real. Os analistas avaliam ainda que a companhia pode enfrentar uma queda no Ebtida de 10% com o recuo nas cotações de óleo.

"Aposta no valor a longo prazo não existe em um ambiente de US$ 50 o barril do petróleo e de baixo crescimento da produção. Nossas estimativas são de o Ebitda diminuir 10% diante dos preços do petróleo mais baixos e do real mais fraco", avaliam os analistas André Sobreira e Vinicius Canheul, que assinam o relatório.

CLIQUE AQUI E TESTE SUA PLATAFORMA DE NEGOCIAÇÃO GRÁTIS.

"Embora muita coisa tenha acontecido desde o início do ano (variação da cotação do petróleo, depreciação cambial), as questões da Petrobras são exatamente as mesmas: como financiar a US$ 25 bilhões de capex, US$ 7 bilhões em pagamentos de juros e rolamento de US$ 10 bilhões ou mais por ano, com geração de caixa que, em níveis de Brent atuais, deve ser em torno de US$ 17 bilhões?", questionam os analistas.

O documento ainda destaca que a companhia conta com os desinvestimentos para viabilizar os projetos, mas "pouco foi executado até agora". "Com preços mais baixos do petróleo, rebaixamento do Brasil e da Petrobras, e o real mais depreciado, fazer todos os desafios acima fica mais difícil", completam.

Os analistas avaliam que há dificuldade em indicar uma referência sobre o comportamento das ações da estatal. "Aposta com base em dividendos é igualmente difícil em um ambiente onde a Petrobras está envolvida em uma série de disputas fiscais, que a faria até mesmo não pagar dividendos por um segundo ano consecutivo", complementam.

 

Últimas Notícias

Ethiopian Airlines considera comprar aviões da Embraer

23/11/2015 23:30
©afp.com / Jenny Vaughan Ethiopian Airlines: empresa planeja quase que sobrar sua frota até 2025 Da REUTERS Montreal - A Ethiopian Airlines, maior companhia aérea da África, quer comprar 10 aviões de fuselagem estreita e está considerando jatos da brasileira Embraer e da...

Governo prepara capital bilionário para a Petrobras

20/11/2015 13:43
Paulo Whitaker/Reuters Reforço de capital: o aporte será via IHCD, uma operação que funciona como um contrato de crédito praticamente sem data de vencimento Adriana Fernandes e Mônica Ciarelli, do Estadão Conteúdo Brasília e Rio - O governo estuda um reforço bilionário na...

Petrobras negocia financiamentos de US$1,84 bi com agências

16/11/2015 21:48
REUTERS/Sergio Moraes Sede da Petrobras no Rio: a Petrobras afirmou que as operações estão em linha com sua estratégia de diversificação de fontes de financiamento Da REUTERS Rio de Janeiro - A Petrobras está concluindo negociações com agências de crédito internacionais em...

Cemig lucra R$ 166,954 milhões no 3º trimestre

14/11/2015 12:17
Arquivo Cemig: no acumulado de janeiro a setembro o lucro da companhia atingiu R$ 2,185 bilhões, alta de 8,21% sobre igual intervalo de 2014 André Magnabosco, do Estadão Conteúdo São Paulo - A estatal mineira Cemig acumulou lucro líquido de R$ 166,954 milhões no terceiro...

Prejuízo da Rossi diminui 35% no 3º trimestre

10/11/2015 21:07
Divulgação Rossi Residencial: receita líquida alcançou R$ 259,4 milhões, queda de 37,4% na comparação anual Fátima Laranjeira, do Estadão Conteúdo A Rossi Residencial registrou prejuízo líquido de R$ 171,1 milhões no terceiro trimestre de 2015, valor 35% menor do que as perdas de...

Valor de ativos à venda no Brasil chega a R$ 150 bilhões

08/11/2015 19:57
Ueslei Marcelino/Reuters Só a Petrobras quer levantar US$ 15,1 bilhões em 2015 e 2016 com a venda de ativos Naiana Oscar e Mônica Scaramuzzo, do Estadão Conteúdo São Paulo - O Brasil tem, neste momento, cerca de R$ 150 bilhões em ativos à venda, segundo cálculos feitos por bancos...

Lucro da Tractebel cai 35% no 3° tri para R$347,6 m

06/11/2015 19:01
Arquivo Tractebel Energia Tractebel: lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) da companhia somou 771,7 milhões de reais no terceiro trimestre Da REUTERS São Paulo - A geradora Tractebel Energia reportou...

CCR tem queda de 28,6% no lucro do 3º trimestre

27/10/2015 21:29
Wikimedia Commons CCR: companhia obteve melhora no resultado operacional no período Da REUTERS São Paulo - A companhia de concessões de infraestrutura CCR teve queda de 28,6 por cento no lucro líquido do terceiro trimestre na comparação anual, a 247 milhões de reais, em resultado...

Assembleia de Deus vai lançar operadora de celular

30/09/2015 21:07
Getty Images Celular: a mais nova operadora virtual do país vai se chamar Mais AD e tem parceria com a Movtte Da REUTERS São Paulo - A Assembleia de Deus, que tem cerca de 18 milhões de fiéis no Brasil, vai lançar uma operadora de celular que utilizará capacidade de rede da...

BTG conclui compra de suíço BSI por US$1,29 bi, diz fonte

15/09/2015 19:44
Gustavo Kahil / Exame.com BTG Pactual: o grupo liderado por André Esteves anunciou nesta terça-feira ter pago 1,25 bilhão de francos suíços para selar a compra Aluísio Alves e Guillermo Parra-Bernal, da REUTERS São Paulo - O BTG Pactual concluiu a compra da gestora suíça de...
<< 1 | 2 | 3 | 4 | 5 >>