Dívida de irmãos Batista dispara com negócio familiar

05/07/2017 18:26

Dívida de irmãos Batista dispara com negócio familiar

Os irmãos que estão no epicentro do mais recente escândalo de corrupção do Brasil compraram as participações de suas três irmãs na J&F Investimentos

Por Gerson Freitas Jr., Cristiane Lucchesi e Felipe Marques, da Bloomberg

Portão de entrada de unidade da JBS em Jundiaí (SP). 01/06/2017

 

JBS: no fim de 2016, Wesley e Joesley Batista ainda não haviam pago pelo negócio, o que ampliou suas dívidas pessoais para R$ 1,3 bilhão por irmão (Paulo Whitaker/Reuters)

São Paulo – Em meio à escalada das investigações sobre irregularidades envolvendo a JBS e seus controladores, no ano passado, os irmãos Joesley Wesley Batista assumiram sem alarde a propriedade integral da holding da família, ampliando suas dívidas pessoais combinadas para R$ 2,6 bilhões (US$ 790 milhões).

Os irmãos que estão no epicentro do mais recente escândalo de corrupção do Brasil compraram as participações de suas três irmãs na J&F Investimentos, uma empresa de capital fechado que detém o controle da JBS e das outras empresas da família, pagando apenas um quinto do valor de mercado de suas participações indiretas na JBS, segundo as declarações de imposto de renda de Wesley e Joesley Bastista de 2017, que integram os documentos divulgados no âmbito do acordo de delação premiada assinado em maio.

Os irmãos fecharam ainda um acordo semelhante, por valor do de mercado, com os controladores da Blessed Holdings, empresa que aparecia entre os acionistas controladores da JBS desde 2009 e cuja identidade dos antigos proprietários é investigada pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

As declarações de imposto mostram que os irmãos haviam assumido o controle pleno da J&F em dezembro.

Wesley e Joesley Batista declararam ter adquirido, junto às firmas de investimento de suas irmãs Valére, Vanessa e Vivianne, participações idênticas de aproximadamente 20 por cento na J&F por um valor declarado de R$ 591 milhões cada, totalizando R$ 1,18 bilhão.

A aquisição incluiu uma participação indireta combinada na JBS de 18 por cento, fatia avaliada em R$ 5,6 bilhões com base no preço médio das ações do frigorífico em dezembro.

No fim de 2016, Wesley e Joesley Batista ainda não haviam pago pelo negócio, o que ampliou suas dívidas pessoais para R$ 1,3 bilhão por irmão, segundo as declarações de impostos.

A J&F e a JBS preferiram não comentar sobre a mudança e as condições das transações.

A família Batista, liderada por Joesley, de 45 anos, e Wesley, de 47, ganhou destaque internacional durante uma década de aquisições que somaram US$ 20 bilhões e transformaram seu matadouro familiar na maior produtora mundial de carnes.

No âmbito do acordo de delação premiada fechado em maio, os irmãos admitiram atos de corrupção e revelaram aos investigadores brasileiros que a ascensão meteórica da empresa não teria sido possível sem uma rede sombria de pagamentos de propinas a políticos e uma série de negócios com o BNDES.

As fraudes que eles descreveram, supostamente envolvendo o presidente da República entre mais de 1.800 políticos, são tão amplas que reconduziram o Brasil ao caos político um ano após o impeachment de Dilma Rousseff.

Não está claro por que a família decidiu trocar os ativos de mãos, e as condições financeiras das transações, incluindo o cronograma de pagamentos, não foram reveladas.

A informação sobre o aumento das dívidas pessoais dos irmãos Batista surge em meio ao temor crescente de que a J&F possa ter problemas de liquidez com a disparada dos custos dos empréstimos da empresa e as multas aplicadas pelo Ministério Público Federal à família e ao grupo empresarial.

Os dois irmãos fecharam acordo para pagar R$ 225 milhões em multas e a J&F pagará R$ 10,3 bilhões ao longo de 25 anos.

Últimas Notícias

Embraer e Horizon Air fecham contrato de US$ 2,8 bi

12/04/2016 22:53
Divulgação/Embraer Jato E175, da Embraer: com esse contrato, a Embraer já vendeu 332 aviões E175 a companhias aéreas da América do Norte Da AFP A Embraer assinou um acordo com a americana Horizon Air para a venda de 30 aeronaves E175, por 2,8 bilhões de dólares a preço de...

Eletrobras contrata banco para vender ativos da Eletrosul

28/03/2016 22:57
Adriano Machado/Bloomberg Linhas de transmissão da Eletrobras: estatal quer levantar 2 bilhões com venda de ativos, que incluem usinas eólicas e linhas de transmissão da Eletrosul. Da REUTERS São Paulo/Rio de Janeiro - A estatal Eletrobras contratou o banco Credit Suisse para...

CSN é condenada a pagar multa de R$ 13 mi

13/02/2016 18:00
Douglas Engle/Bloomberg News CSN: siderúrgica leva multa por problemas em Usina Presidente Vargas Do Estadão Conteúdo Rio – A CSN foi condenada a pagar R$ 13 milhões por ter descumprido um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), segundo o Ministério Público do Rio de...

Fitch diz que resultado da Gol eleva risco de inadimplência

04/02/2016 20:22
Exame.com/Karin Salomão Gol: para a Fitch, o principal risco à nota da Gol é a deterioração da demanda, que deve sofrer pressão dado o ambiente econômico no Brasil Marcelo Osakabe, do Estadão Conteúdo São Paulo - Caso não ocorra novo aporte de capital por parte de seus...

Eletrobras vai avaliar ativos da Abengoa, diz presidente

26/01/2016 21:01
Divulgação Subestação Assis, da Abengoa Brasil: no Brasil, a Abengoa tem sua principal atuação na transmissão de energia, segmento em que a própria Eletrobras atua fortemente Leonardo Goy, da REUTERS Brasília - A estatal Eletrobras vai analisar a possibilidade de disputar ativos...

Rio Tinto pode tirar Vale do 1º lugar em produção de minério

24/01/2016 18:32
Yusuf Ahmad/Reuters Funcionário da Vale: Rio Tinto prevê que a produção de suas minas, incluindo as toneladas alocadas a parceiros, aumentará cerca de 7 por cento neste ano David Stringer, da Bloomberg A Rio Tinto está prestes a empatar com a Vale – ou até mesmo desbancá-la – no...

Terminal da Vale no Maranhão será o maior do mundo em 2018

06/01/2016 22:27
Minério de ferro no Terminal Marítimo da Ponta da Madeira, da Companhia Vale do Rio Doce Da REUTERS São Paulo - O porto de Ponta da Madeira (TMPM), operado pela mineradora Vale em São Luís (MA), que completa 30 anos de operação nesta quarta-feira, está em processo de expansão para...

Calotes deixam Petrobras com R$1 bi a receber, diz Aneel

07/12/2015 20:55
Ueslei Marcelino/Reuters Petrobras: documento lista os créditos de empresas do setor nas liquidações financeiras da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica Da REUTERS São Paulo - A suspensão de liquidações financeiras do mercado de energia elétrica e a inadimplência elevada...

CPFL vê onda de venda de ativos com estrangeiros na disputa

03/12/2015 21:21
Divulgação CPFL: a CPFL pode aproveitar para ampliar sua fatia no mercado brasileiro de distribuição, hoje em 13 por cento Luciano Costa, da REUTERS São Paulo - A CPFL Energia vê um cenário aquecido para vendas de ativos de geração e distribuição de energia no Brasil nos próximos...

BTG Pactual anuncia Persio Arida como CEO interino

25/11/2015 21:37
Flavio Santana/Biofoto/EXAME.com Pérsio Arida, do BTG Pactual: nomeação ocorreu após a Polícia Federal ter prendido nesta manhã o fundador e presidente-executivo do BTG Pactual, André Esteves Da REUTERS São Paulo - O BTG Pactual afirmou nesta quarta-feira que o Conselho de...
<< 1 | 2 | 3 | 4 | 5 >>