Egito provoca maior fuga desde 2008 de fundos emergentes

08/02/2011 10:07

TONI SCIARRETTA
DE SÃO PAULO

Os fundos globais de ações focados em países emergentes, cujos principais expoentes são China e Brasil, perderam US$ 7,02 bilhões apenas na semana que vai de 25 de janeiro a 2 de fevereiro.

É a maior debandada de investimentos em países emergentes já vista em apenas uma semana desde o final de 2008, logo após a quebra do Lehman Brothers, segundo a consultoria EPFR.

O motivo é a recente crise no Egito, que tem a maior e mais diversificada economia do norte da África.

A escalada da violência no Egito somou novas incertezas à frágil recuperação da economia global e às preocupações com a escalada da inflação em países como China, Brasil, Índia e Indonésia por conta do aumento nos preços dos alimentos.

Os países que mais perderam investimentos foram China e Brasil, com retiradas da ordem de US$ 1,4 bilhão e de US$ 1 bilhão no período, segundo o Barclays Capital.

A maioria desses fundos é estrangeira e investe coletivamente em papéis de empresas emergentes -China e Brasil respondem por 20,7% e 14,8% das aplicações desses fundos. Os fundos exclusivos de papéis brasileiros perderam US$ 52 milhões nesta semana.

"Todos os emergentes que estão com inflação -Brasil, China, Índia- estão perdendo dinheiro. Há um temor das medidas para esfriar a economia. Quando acontece essa situação, o mercado global fica menos disposto a manter posições nesses países. Os juros dos títulos americanos subiram muito e há o risco de uma forte correção nos preços das ações", disse o consultor Milton Wagner, da Wagner Investimentos, especializada em analisar o comportamento de diferentes portes de investidores.

"As turbulências no Egito não ajudam a melhorar a percepção em relação aos emergentes. O único beneficiado pelo aumento do petróleo é a Rússia", afirma a EPFR.

Para o economista-chefe da SulAmerica Investimentos, Newton Rosa, as incertezas já ameaçam as aberturas de capital programadas na Bolsa. Neste ano, já entraram na Bolsa a Arezzo, a Sonae e a Autometal. Outras seis programam abrir capital.

"Está um quadro de muita incerteza fora e aqui. No Brasil, há uma certa preocupação com a posição do governo ante essa alta da inflação. O temor é que seja obrigado a fazer um ajuste muito forte depois. A questão fiscal também é um ponto de interrogação e de incerteza."

  Editoria de Arte/Folhapress  

fonte: http://www1.folha.uol.com.br/mercado/871181-egito-provoca-maior-fuga-desde-2008-de-fundos-emergentes.shtml

Últimas Notícias

Os 10 maiores bilionários brasileiros de 2019, segundo a Forbes

25/09/2019 17:40
A lista da Forbes conta com um número recorde de bilionários este ano: são 206 no país, 26 a mais que no ano anterior Por Karin Salomão access_time25 set 2019, 16h00 O empresário Jorge Paulo Lemann, sócio do 3G Capital, quase perdeu o posto do homem mais rico do Brasil, que ocupa há sete...

Natura confirma negociação para compra da Avon via troca de ações

22/05/2019 17:13
Empresa ponderou que não há como garantir que vai concluir de fato a transação Avon: Natura confirmou a informações de que está negociando a compra da rival norte-americana (Brendan McDermid/Reuters) São Paulo – A Natura confirmou nesta quarta-feira informações da imprensa de que...

Bolsa sobe com negociação EUA-China e reforma da Previdência

09/01/2019 11:41
Às 10:04, o Ibovespa subia 0,13 por cento, a 92.148,68 pontos Por Reuters Bovespa: bolsa sobe (Paulo Whitaker/Reuters) São Paulo – A bolsa paulista começava a quarta-feira com o Ibovespa em alta, alinhada ao tom positivo no exterior, em meio a expectativas de que Estados...

J&F discute repactuar leniência e pode confessar insider trading

22/01/2018 18:51
J&F discute repactuar leniência e pode confessar insider trading Leniência do grupo, fechada no final de maio do ano passado, prevê o pagamento de uma multa recorde no valor de 10,3 bilhões de reais durante 25 anos. J&F: acordo de leniência ficou em xeque após os irmãos...

Caixa mais que dobra lucro no 3º tri, para R$ 2,17 bi, diz BC

30/11/2017 16:31
Caixa mais que dobra lucro no 3º tri, para R$ 2,17 bi, diz BC As despesas da Caixa com pessoal somaram R$ 5,59 bi entre julho e setembro, número praticamente em linha com o mesmo período do ano passado Por Aluisio Alves, da Reuters Caixa: a soma das receitas com tarifas e...

Excesso de liquidez pressiona grandes bancos brasileiros

30/11/2017 15:57
Os maiores bancos do Brasil têm tantos ativos de alta liquidez que estão tentando se livrar deles. Por Cristiane Lucchesi e Felipe Marques, da Bloomberg Pessoas passam por agência do Banco do Brasil, no Rio de Janeiro (Pilar Olivares/Reuters) Os maiores Bancos do...

Dívida de irmãos Batista dispara com negócio familiar

05/07/2017 18:26
Dívida de irmãos Batista dispara com negócio familiar Os irmãos que estão no epicentro do mais recente escândalo de corrupção do Brasil compraram as participações de suas três irmãs na J&F Investimentos Por Gerson Freitas Jr., Cristiane Lucchesi e Felipe Marques, da...

Gávea Investimentos negocia venda de fatia na Azul, dizem fontes

08/12/2016 10:57
Segundo fontes, a Gávea quer vender sua participação na Azul e os atuais acionistas devem comprar a fatia Por Fabiola Moura e Jessica Brice, da Bloomberg     Azul: participação da Gávea na empresa foi avaliada em R$ 212,5 milhões (Getty Images) A gestora de ativos brasileira Gávea...

Gol tem queda de 6,7% na oferta doméstica.

12/08/2016 10:57
  São Paulo - A Gol registrou queda de 6,7% na oferta doméstica em julho em comparação com o mesmo mês de 2015. A companhia justificou em comunicado que o dado "seguiu a tendência de adequação". Houve retração também no acumulado do ano até julho, de 6,4% comparativamente a...

Kroton aumenta oferta pela Estácio e se aproxima de fusão

02/07/2016 16:18
Ricardo Moraes/Reuters Estácio: se concretizado, o negócio com a Kroton é avaliado em R$ 5,5 bilhões Cátia Luz, do Estadão Conteúdo Fernanda Guimarães, do Estadão Conteúdo Gabriela Melo e Márcio Rodrigues, do Estadão Conteúdo São Paulo - Líder do ensino superior privado do...
1 | 2 | 3 | 4 | 5 >>