Excesso de liquidez pressiona grandes bancos brasileiros

30/11/2017 15:57

Os maiores bancos do Brasil têm tantos ativos de alta liquidez que estão tentando se livrar deles.

Os maiores Bancos do Brasil têm tantos ativos de alta liquidez que estão tentando se livrar deles.

Com crédito levando mais tempo do que o esperado para se recuperar, as principais instituições financeiras estão lutando para encontrar maneiras de aplicar os depósitos que captam de clientes, o que tem elevado o caixa e os ativos mais líquidos das instituições financeiras. Ao mesmo tempo, a queda acentuada dos juros limitou o retorno dos bancos com o investimento de seus ativos de maior liquidez. É uma situação que tem inquietado alguns analistas.

“A maior preocupação com o excesso de liquidez seria o impacto potencial nas margens”, afirmou Tito Labarta, analista do Deutsche Bank. “No passado, com taxas de juros mais elevadas, você simplesmente investia em títulos do governo e tinha um retorno bastante decente. Mas agora, isso é mais difícil com as taxas de juros caindo.”

Os maiores bancos brasileiros têm muito mais do que o percentual mínimo exigido em ativos de curto prazo — chegando a até três vezes mais do que o necessário. O Banco Central determina que grandes instituições financeiras mantenham ativos de alta liquidez equivalentes a pelos menos 80 por cento da saída líquida de caixa projetada em uma eventual crise. O índice mínimo de liquidez de curto prazo (LCR, em inglês) vai ser ampliado para 90 por cento em 2018 e 100 por cento em 2019.

Cobertura

Atualmente, o LCR do Banco do Brasil, maior do País em ativos, é mais que o triplo do que precisaria ser, em 260,2 por cento. E isso após recuar de um patamar de 443,5 por cento no ano passado, diante não da redução dos ativos líquidos, mas sim das exigências maiores do BC para saídas de caixa em cenários de estresse.

O Itaú Unibanco Holding, o maior em valor de mercado, trabalha com LCR de 200,7 por cento; o Banco Bradesco, com 154,4 por cento; e o Banco Santander Brasil, com 133 por cento.

Para diminuir parte dessa liquidez de curto prazo, seria preciso que o crédito crescesse, mas essa variável não acompanhou a recuperação da economia brasileira. A carteira total de empréstimos no sistema bancário encolheu 1,4 por cento nos 12 meses até outubro para R$ 3,05 trilhões, de acordo com dados do BC.

“Esta é uma das razões pelas quais os bancos estão abrindo suas plataformas, permitindo que os clientes comprem investimentos financeiros de outras instituições: a liquidez de curto prazo excedente”, afirmou Carlos Macedo, analista do Goldman Sachs Group, acrescentando que a demanda por crédito segue fraca e que os bancos ainda estão conservadores na hora de conceder empréstimos.

Uso dos recursos

Para não deixar dinheiro parado, os bancos estão recomprando ações ou fazendo aquisições, disse Macedo. Segundo ele, ao longo dos últimos dois anos, o Itaú recomprou aproximadamente R$ 1 bilhão em ações todo trimestre. Além disso, o banco anunciou há pouco mais de um ano a compra da operação de varejo do Citigroup no Brasil e em maio anunciou a aquisição da XP Investimentos.

O Bradesco recebeu sinal verde das autoridades para comprar a divisão local do HSBC Holdings em meados do ano passado. Macedo espera recuperação plena do crédito em 2019, após um aumento modesto no ano que vem. Segundo ele, os bancos precisarão continuar cortando custos para manter a lucratividade nos níveis atuais, inclusive fechando agências e investindo em tecnologias que produzam economias de longo prazo.

“Com a Selic caindo, margens menores no ano que vem estão praticamente telegrafadas”, disse Macedo. “A questão é quanto elas vão diminuir.”

Últimas Notícias

Desafios da Petrobras ficam mais difíceis, diz Credit Suisse

11/09/2015 00:26
Dado Galdieri/Bloomberg Petrobras: de acordo com o banco, pesam sobre a companhia sua necessidade de financiamento de US$ 25 bilhões por ano Antonio Pita, do Estadão Conteúdo Rio - O cenário que já era delicado e preocupante para a Petrobras ficou ainda mais difícil após o...

Gerdau reajusta preços de aços longos, dizem fontes

08/09/2015 22:34
Paulo Fridman/Bloomberg News Gerdau: notificação do reajuste ocorreu entre o fim de agosto e o início deste mês Da REUTERS São Paulo - A Gerdau comunicou aos distribuidores de produtos siderúrgicos um aumento de cerca de 15 por cento nos preços de toda a sua linha de aços longos,...

Walmart vai parar de vender fuzis e outras armas nos EUA

26/08/2015 20:41
Joshua Lott/Files/Reuters Fuzil AR-15 em exposição Jonas Carvalho, de EXAME.com São Paulo – O Walmart informou hoje que vai parar de vender armas semiautomáticas em suas lojas nos Estados Unidos. O maior vendedor de armas e munições americano diz que a decisão é somente comercial e...

CCX obtém novo prazo para desenvolver concessão na Colômbia

28/07/2015 20:41
Divulgação CCX explora carvão na Colômbia: empresa declarou que o prazo para apresentação do plano foi prorrogado para setembro de 2017 Da REUTERS Rio de Janeiro - A mineradora CCX Colômbia informou nesta terça-feira que obteve permissão da Agencia Nacional de Mineria da Colômbia...

Santander reformula pacotes de conta corrente

21/07/2015 21:03
Getty Images Com a mudança, o cliente do Santander poderá escolher entre dois tipos de pacotes de serviços de conta corrente Aline Bronzati, do Estadão Conteúdo São Paulo - O Santander reformulou seus pacotes de conta corrente, lançados há dois anos, e vai permitir que a tarifa...

Com crescimento lento, empresas buscam fusões e aquisições

22/06/2015 21:24
Giuseppe Cacace/Getty Images Parmalat: compra da área de laticínios da BRF por R$ 1,8 bilhão foi uma das transações feitas no Brasil este ano Luísa Melo, de EXAME.com São Paulo - Em tempos de crise e queda no consumo, como agora, crescer organicamente é uma tarefa...

Marfrig dispara após venda bilionária para dona da Friboi

22/06/2015 15:20
                  O negócio segue a estratégia da JBS de crescer em alimentos processados São Paulo - As ações ordinárias da Marfrig lideravam a alta do Ibovespa nesta...

Crise não preocupa no longo prazo, diz presidente da Ambev

02/06/2015 20:44
Germano Lüders / EXAME Fábrica da Ambev: previsão é gastar R$ 3 bilhões neste ano, no mesmo patamar de 2014. Fernanda Nunes, do Estadão Conteúdo Rio de Janeiro - A crise econômica no Brasil não deve afetar os negócios da cervejaria Ambev neste ano, afirmou nesta...

Citi descarta comprar HSBC e vender Elavon no Brasil

27/05/2015 23:38
Mario Tama/Getty Images Prédio Citigroup Center: o banco está poupando dinheiro, pois prevê que os índices de inadimplência do setor bancário no país devem crescer nos próximos trimestres Da REUTERS São Paulo - O Citi já tomou as decisões importantes em termos de alienação de...

Com aumento de impostos, bancos têm semana trágica na Bolsa

25/05/2015 11:45
  RecomendeCompartilhar no TwitterCompartilhar no Google+Compartilhar no LinkedIn 1.148 views0 Salvar notícia Getty Images São Paulo - A expectativa de que o governo aumentaria os impostos das instituições financeiras impactaram as ações...
<< 2 | 3 | 4 | 5 | 6 >>