OGX anuncia plano para Bacias de Campos e Parnaíba

07/06/2011 10:46

Companhia permanece confiante em sua capacidade de continuar a executar seu plano de exploração e produção nos próximos anos, gerenciando seus custos


Divulgação

Paulo Mendonça, diretor-geral da OGX

Comunicado da empresa foi feito pelo diretor-geral e de exploração da OGX, Paulo Mendonça

São Paulo - A OGX Petróleo e Gás Participações anunciou, na noite de ontem, o novo plano de negócios da companhia para as descobertas nas Bacias de Campos e do Parnaíba. Em fato relevante enviado ao mercado, o diretor-geral e de exploração da OGX, Paulo Mendonça, afirma que "a liquidez pró-forma de aproximadamente US$ 5,1 bilhões em caixa que dispomos nos permitirá atingir um fluxo de caixa positivo em 2014 e assegurar uma produção estimada de 730 mil boepd (barris de óleo equivalente por dia) até o final de 2015".


Mendonça acrescentou que a empresa permanece confiante em sua capacidade de continuar a executar seu plano de exploração e produção nos próximos anos, "ao mesmo tempo em que continuamos gerenciando com eficiência nossos custos". O fato relevante diz ainda que, como resultado da disciplina financeira da companhia, a OGX manteve forte liquidez durante suas atividades exploratórias, com caixa de US$ 2,5 bilhões (posição em 31 de março de 2011).

"A OGX acredita que esse nível de liquidez, somado aos US$ 2,563 bilhões provenientes da emissão de títulos e o fluxo de caixa operacional da produção, irá permitir que a companhia financie integralmente o desenvolvimento da produção das descobertas já realizadas e consiga atingir um fluxo de caixa positivo estabilizado em 2014", diz a empresa.

Bacia de Campos

A OGX informou que a produção na Bacia de Campos começará no primeiro projeto (complexo de Waimea) em outubro de 2011, com uma produção antecipada de até 20 mil barris por dia (bpd) pelo poço OGX-26. A produção do segundo projeto (complexo de Waikiki) está prevista para começar no quarto trimestre de 2013. A OGX diz que, em 2013, espera ter três plataformas do tipo FPSO (OSX-1, OSX-2 e OSX-3) e duas plataformas WHP (WHP-1 e WHP-2) preparadas, com um total de dez poços horizontais produtores em atividade nesses dois projetos.

A empresa explica ainda que espera atingir 150 mil bpd de produção na Bacia de Campos em 2013, nesses dois complexos de produção, provenientes de dez poços horizontais que produzirão uma média de 15 mil bpd cada.