Os desafios do Magazine Luiza após o IPO

01/03/2011 18:27

Ao reagir tarde a seus rivais, Magazine Luiza vai encontrar cenário mais difícil para crescer

 
 

Germano Luders/EXAME

Luiza Helena Trajano, do Magazine Luiza

Luiza Helena Trajano, presidente da varejista: cenário mais difícil para crescer

São Paulo – A abertura de capital do Magazine Luiza, anunciada ontem (28/2), é um dos movimentos mais esperados no setor de varejo. Ainda não se sabe quanto a empresa vai levantar na operação, mas o IPO não deve ser a solução mágica para todos os problemas da varejista. Mesmo com o caixa reforçado, o Magazine Luiza vai enfrentar um cenário mais difícil para crescer.

 
No prospecto preliminar, protocolado na Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a empresa afirma que vai destinar recursos, entre outros, para duas estratégias: a abertura de novas lojas e a eventual aquisição de concorrentes no setor eletro-eletrônico.

O ponto é que, após a acelerada consolidação do setor de varejo nos últimos dois anos, ficou mais difícil para o Luiza encontrar espaço. Nesse intervalo, o Grupo Pão de Açúcar saltou para a liderança do setor, ao comprar o Ponto Frio e fundi-lo com a Nova Casas Bahia. Já a Ricardo Eletro e a Insinuante uniram-se na Máquina de Vendas, tornando-se um desafiante de peso. Com rivais mais fortes, o Magazine Luiza precisará mais do que dinheiro para avançar.

Mercado aquecido

Seguindo a velha lei da oferta e da procura, a corrida dos gigantes do setor para comprar redes menores elevou os preços dos negócios. “As redes de médio porte, possíveis alvos do Magazine Luiza para aquisição, estão supervalorizadas”, afirma Cláudio Felisoni, coordenador do Programa de Administração de Varejo da Fundação Instituto de Administração (Provar/Fia). Segundo Felisoni, o setor de varejo de bens duráveis vive um de seus melhores momentos e deve continuar aquecido nos próximos anos. “Não será fácil encontrar um bom negócio”, diz.

O tempo, contudo, parece estar contra o Luiza. A aquisição de redes menores é o caminho mais curto para reduzir a distância entre a rede de Luiza Helena Trajano e os líderes. Depois de perder a briga com o Pão de Açúcar pelo Ponto Frio, a empresária viu o grupo de Abílio Diniz disparar na dianteira. Assim, Luiza talvez seja obrigada a ir às compras em um momento de preços altos, mas pode não haver outra saída. “A estratégia de aquisições é a maneira mais ágil de ocupar espaços”, afirma Marcos Gouvêa, sócio da GS&MD – Gouvêa de Souza, consultoria especializada no setor de varejo.

Se der prioridade às aquisições, as melhores oportunidades estariam em redes do Norte, Nordeste e Centro-Oeste. “Nessas regiões, a competitividade é menor e a rentabilidade pode ser maior, já que é mais fácil ter clientes mais fiéis”, afirma Gouvêa.

Últimas Notícias

Os 10 maiores bilionários brasileiros de 2019, segundo a Forbes

25/09/2019 17:40
A lista da Forbes conta com um número recorde de bilionários este ano: são 206 no país, 26 a mais que no ano anterior Por Karin Salomão access_time25 set 2019, 16h00 O empresário Jorge Paulo Lemann, sócio do 3G Capital, quase perdeu o posto do homem mais rico do Brasil, que ocupa há sete...

Natura confirma negociação para compra da Avon via troca de ações

22/05/2019 17:13
Empresa ponderou que não há como garantir que vai concluir de fato a transação Avon: Natura confirmou a informações de que está negociando a compra da rival norte-americana (Brendan McDermid/Reuters) São Paulo – A Natura confirmou nesta quarta-feira informações da imprensa de que...

Bolsa sobe com negociação EUA-China e reforma da Previdência

09/01/2019 11:41
Às 10:04, o Ibovespa subia 0,13 por cento, a 92.148,68 pontos Por Reuters Bovespa: bolsa sobe (Paulo Whitaker/Reuters) São Paulo – A bolsa paulista começava a quarta-feira com o Ibovespa em alta, alinhada ao tom positivo no exterior, em meio a expectativas de que Estados...

J&F discute repactuar leniência e pode confessar insider trading

22/01/2018 18:51
J&F discute repactuar leniência e pode confessar insider trading Leniência do grupo, fechada no final de maio do ano passado, prevê o pagamento de uma multa recorde no valor de 10,3 bilhões de reais durante 25 anos. J&F: acordo de leniência ficou em xeque após os irmãos...

Caixa mais que dobra lucro no 3º tri, para R$ 2,17 bi, diz BC

30/11/2017 16:31
Caixa mais que dobra lucro no 3º tri, para R$ 2,17 bi, diz BC As despesas da Caixa com pessoal somaram R$ 5,59 bi entre julho e setembro, número praticamente em linha com o mesmo período do ano passado Por Aluisio Alves, da Reuters Caixa: a soma das receitas com tarifas e...

Excesso de liquidez pressiona grandes bancos brasileiros

30/11/2017 15:57
Os maiores bancos do Brasil têm tantos ativos de alta liquidez que estão tentando se livrar deles. Por Cristiane Lucchesi e Felipe Marques, da Bloomberg Pessoas passam por agência do Banco do Brasil, no Rio de Janeiro (Pilar Olivares/Reuters) Os maiores Bancos do...

Dívida de irmãos Batista dispara com negócio familiar

05/07/2017 18:26
Dívida de irmãos Batista dispara com negócio familiar Os irmãos que estão no epicentro do mais recente escândalo de corrupção do Brasil compraram as participações de suas três irmãs na J&F Investimentos Por Gerson Freitas Jr., Cristiane Lucchesi e Felipe Marques, da...

Gávea Investimentos negocia venda de fatia na Azul, dizem fontes

08/12/2016 10:57
Segundo fontes, a Gávea quer vender sua participação na Azul e os atuais acionistas devem comprar a fatia Por Fabiola Moura e Jessica Brice, da Bloomberg     Azul: participação da Gávea na empresa foi avaliada em R$ 212,5 milhões (Getty Images) A gestora de ativos brasileira Gávea...

Gol tem queda de 6,7% na oferta doméstica.

12/08/2016 10:57
  São Paulo - A Gol registrou queda de 6,7% na oferta doméstica em julho em comparação com o mesmo mês de 2015. A companhia justificou em comunicado que o dado "seguiu a tendência de adequação". Houve retração também no acumulado do ano até julho, de 6,4% comparativamente a...

Kroton aumenta oferta pela Estácio e se aproxima de fusão

02/07/2016 16:18
Ricardo Moraes/Reuters Estácio: se concretizado, o negócio com a Kroton é avaliado em R$ 5,5 bilhões Cátia Luz, do Estadão Conteúdo Fernanda Guimarães, do Estadão Conteúdo Gabriela Melo e Márcio Rodrigues, do Estadão Conteúdo São Paulo - Líder do ensino superior privado do...
1 | 2 | 3 | 4 | 5 >>